Voto de confiança

O verdadeiro dirigente
É aquele que conhece
O sofrimento de seu povo
E o quanto ele padece.

É aquele que tomava
O mesmo vinho, a mesma água,
Que comia o mesmo pão
E que trazia a mesma mágoa.

O verdadeiro governante,
Não se sente importante,
Governa para os humildes,
É o seu representante.

É aquele que defende
O mais fraco e oprimido,
Que luta pra melhorar
O modo que temos vivido.

O povo o colocou
No mais alto escalão,
Um voto de confiança,
Um voto de esperança,
O país na sua mão.

Indignado Politicamente

Tá faltando emprego pra população,
O povo não pode ter educação.
As drogas proliferam como epidemia,
Tudo é muito fácil, é País da folia.

A violência assola a população,
O povo acuado, tranca o portão.
De um lado tem o que morre de fome,
Do outro tem aquele que consome.

O País doente que não tem saúde,
Peço a Deus do céu pra que nos ajude.
Todo mundo pensa em aproveitar,
Em encher ao bolsos para se fartar.

O povo está cansado de tanta promessa,
Nossos governantes não estão com pressa.
Em ano de eleição, se pintam pra batalha,
Enquanto o povo sente o fio da navalha.

Indignado eu fico, indignado estou.
Indignado, eu choro pelo que restou.
Indignado, eu vivo muito inseguro.
Indignado, estou com medo do futuro.

Óbvio demais (Auto-destruição)

Nem toda verdade merece ser dita
Se ninguém acredita na minha versão.
Se falo de sangue alguns me aplaudem,
Se falo de flores, nem dão atenção.

Se falo de paz, parece banal.
É óbvio demais a destriuição.
O mal que assola a humanidade
É realidade em toda nação.

Falar de futuro é muito difícil,
Não tenho artifícios pra me expressar.
Nem toda a verdade merece se dita
Se ninguém acredita no que vou falar.

O sangue que jorra é vida ceifada,
Mais um inocente jogado ao chão,
Em nome da guerra que não faz sentido,
Um mundo perdido em destruição.

Nem toda verdade merece ser dita
Se ninguém acredita na minha versão.
Dizimados pela raça humana,
É a nossa auto-destruição.

Terra Natal

Aqui, as coisas são diferentes.
Tudo passa tão ligeiro, aqui.

Correria todo dia,
Ninguém fala com ninguém
As pessoas se esbarram,
Uns vão indo outros vem.

Más é que não sou daqui,
Não compreendo esse lugar.
Sou simplório, sou matuto.
Pra minha terra, quero voltar.

Lá, o tempo passa devagar.

O dia é longo demais,
Eu tenho um tempo de paz,
É um prazer aproveitar.
A vida é tão natural,
Não vejo nada igual,
Sinto saudades em pensar.

Eu vejo estrelas no céu,
A lua enfeita o meu céu,
O vento manso a sussurrar.
Eu ouço o galo cantar
E os passarinhos também,
O sol raiando, já evém.

Na cachoeira banhar,
Vou no riacho pescar,
Tem fruta fresca no pomar.
É neste chão que nasci,
Terra que me viu crescer,
É lá que eu quero morrer.

Vivendo e Aprendendo

Enterre seus mortos,
Abandone os fantasmas,
Esqueça seus medos
E siga em paz.

Uma nova história
É feita de sonhos,
Movida a desejos
E um pouco de paz.

Vire esta página,
Escolha seu rumo,
Caminhe pra frente,
Não olhe pra trás.

A vida é assim,
Ganhando ou perdendo,
Chorando ou sorrindo,
A vida é assim,
É vivendo e aprendendo.

Espontaneidade

Se você não sabe ser
O que você quer ser,
Então deixa de querer
O que você quer ser.

Se você pensa em ser
Só por alguém é,
É melhor pensar direito
No que você quer.

Seja espontâneo, natural,
Seja você e o mundo
Á sua volta, irá te copiar.
A mudança só começa com o seu querer,
Pra você, chegou a hora de mudar.

Antes de mudar,
Você precisa conhecer
A força que existe
Dentro de você.

Saiba que você
É campeão é vencedor
E força em você
É simplesmente amor.

Qualquer que seja a sua crença

Qualquer que seja a sua crença,
Filosofia, ideologia ou religião.
Qualquer que seja o seu caminho,
O seu sentido, a sua trilha, a sua direção.

Um novo dia, traz a esperança mor
E a cada dia ela fica bem maior.
A esperança vai crescendo com a fé,
Fortalecendo para o que der e vier.

Quanto mais sofre, mais esperança se tem.
O satisfeito não se lembra de ninguém.
Quanto mais pobre, mais fiel à sua fé.
Quanto mais rico, mais escravo ele é.

O sofrimento aprimora a vontade,
Faz entender e aceitar a realidade.
O mais humilde está mais próximo de Deus.
O mais provido não reconhece os teus.

Ela sabe viver

Você percebe o mundo a sua volta,
Enquanto isso, você leve e solta,
Vai por ai.
Todos perdidos em seus sonhos loucos
E você livre, se desprende aos poucos,
É só curtir.

O tempo passa e você quase vôa,
Tudo vai mal e você tá na boa,
Sem resistir.
A vida é curta e você sabe disso,
Por isso mesmo, não há compromisso,
É só seguir.

Eu admiro sua desenvoltura,
Você tão livre e sempre tão segura,
Aqui e ali.
Viver é isso você nos ensina,
Com o seu jeito natural de menina,
Sempre a sorrir.

Curta a Jornada

Vivendo e aprendendo, esse é o nosso lema.
As batalhas mais difíceis, são sempre as pequenas.

A cada novo dia, há um novo problema.
A vida é isso mesmo, é só mais um dilema.

A prática da queda, aprimora o tombo.
A constante retirada é que revela o rombo.

Insistir no erro, aí já é burrice!
Refazer muitas vezes, pra mim já é tolice.


E ao final de tudo, você não leva nada.
É só o que viver nessa curta jornada.

A jornada é curta, curta a jornada.

Somos Quase Nada

Um sol pra cada um de nós,
Perante o sol, somos iguais.
O sol não pode distinguir,
Quem não tem nada ou quem tem mais.

Seja noite ou seja dia,
O céu tá lá pra nos mostrar.
Que existe algo bem maior,
Que devemos respeitar.

O universo é assim, é.
Aceita qualquer um de nós,
Más, o dinheiro e o poder,
É quem divide a nossa voz.

A tarde cai, o sol se vai.
A noite vem aliviar.
Escuridão pra todos nós.
Somos iguais sob o luar.